sexta-feira, 5 de agosto de 2016

terça-feira, 2 de agosto de 2016

ESBOÇO DE SERMÃO BASEADO EM LUCAS 1.1-4

Veredas da Justiça: Sermões que Edificam

TEXTO: LUCAS 1.1-4

TEMA: VERDADES SOBRE A REVELAÇÃO DE DEUS PARA O HOMEM

1.     A REVELAÇÃO DE DEUS FALA DA PRESENÇA DE JESUS ENTRE OS HOMENS. V.1-2
“[1] Visto que muitos têm empreendido fazer uma narração coordenada dos fatos que entre nós se realizaram, [2] segundo no-los transmitiram os que desde o princípio foram testemunhas oculares e ministros da palavra”.

1.1     Jesus quando veio viver entre nós, tornou-se homem como nós, exceto no pecado.

“E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade; e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai” (Jo 1.14).

“Porque não temos um sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas; porém um que, como nós, em tudo foi tentado, mas sem pecado”(Hb 4.15)

1.2     Jesus quando veio viver entre nós, sujeitou-se a todo o plano do Pai, inclusive a cruz. Fp 2.5-8
[5] Tende em vós aquele sentimento que houve também em Cristo Jesus, [6] o qual, subsistindo em forma de Deus, não considerou o ser igual a Deus coisa a que se devia aferrar, [7] mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, tornando-se semelhante aos homens; [8] e, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, tornando-se obediente até a morte, e morte de cruz”.

1.3     Jesus quando veio viver entre nós e implantar o reino de Deus aqui.

João Batista dizia: “Arrependei-vos porque é chegado o reino de Deus” (Mt 3.2).

Jesus Disse: Arrependei-vos porque é chegado o reino de Deus (Mt 4.17).

2.     A REVELAÇÃO DE DEUS ESTÁ DISPONIBILIZADA DE MANEIRA ESCRITA. V.3
“Também a mim, depois de haver investido tudo cuidadosamente desde o começo, pareceu-me bem, ó excelentíssimo Teófilo, escrever-te uma narração em ordem”.

2.1     A Palavra de Deus é o meio mais completo de conhecermos a Deus.

“Examinais as Escrituras, porque julgais ter nelas a vida eterna; e são elas que dão testemunho de mim” (Jo 5.39).

[20] sabendo primeiramente isto: que nenhuma profecia da Escritura é de particular interpretação. [21] Porque a profecia nunca foi produzida por vontade dos homens, mas os homens da parte de Deus falaram movidos pelo Espírito Santo” (I Pe 1.20-21).

2.2     A Palavra de Deus é o meio pelo qual nós tomarmos posse da vida eterna. Jo 5.24
“Em verdade, em verdade vos digo que quem ouve a minha palavra, e crê naquele que me enviou, tem a vida eterna e não entra em juízo, mas já passou da morte para a vida”.

2.3     A Palavra de Deus habilita-nos no conhecimento da verdade. II Tm 3.16, 17
[16] Toda Escritura é divinamente inspirada e proveitosa para ensinar, para repreender, para corrigir, para instruir em justiça; [17] para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente preparado para toda boa obra”.

3.     A REVELAÇÃO DE DEUS FORTALAECE A FÉ DOS CRISTÃOS. V.4
“Para que conheças plenamente a verdade das coisas em que foste instruído”.

3.1     Quando Deus se revela ao homem, este ver a majestade divina. Is 6.1-4
“[1] No ano em que morreu o rei Uzias, eu vi o Senhor assentado sobre um alto e sublime trono, e as orlas do seu manto enchiam o templo. [2] Ao seu redor havia serafins; cada um tinha seis asas; com duas cobria o rosto, e com duas cobria os pés e com duas voava. [3] E clamavam uns para os outros, dizendo: Santo, santo, santo é o Senhor dos exércitos; a terra toda está cheia da sua glória. [4] E as bases dos limiares moveram-se à voz do que clamava, e a casa se enchia de fumaça”.

3.2     Quando Deus se revela ao homem, este ver a falibilidade humana. Lc 5.8; Is 6.5

“Vendo isso Simão Pedro, prostrou-se aos pés de Jesus, dizendo: Retira-te de mim, Senhor, porque sou um homem pecador” (Lc 5.8).

“Então disse eu: Ai de mim! pois estou perdido; porque sou homem de lábios impuros, e habito no meio dum povo de impuros lábios; e os meus olhos viram o rei, o Senhor dos exércitos!” (Is 6.5)

3.3     Quando Deus se revela ao homem, este ver a ação graciosa de Deus. Is 6.6-7
[6] Então voou para mim um dos serafins, trazendo na mão uma brasa viva, que tirara do altar com uma tenaz; [7] e com a brasa tocou-me a boca, e disse: Eis que isto tocou os teus lábios; e a tua iniqüidade foi tirada, e perdoado o teu pecado”.

3.4     Quando Deus se revela ao homem este ver a necessidade de fazê-lo conhecido aos outros. Is 6.8; Mc 1.17, 18

“Depois disto ouvi a voz do Senhor, que dizia: A quem enviarei, e quem irá por nós? Então disse eu: Eis-me aqui, envia-me a mim” (Is 6.8).

“[17] Disse-lhes: Vinde após mim, e eu vos farei pescadores de homens. [18] Eles, pois, deixando imediatamente as redes, o seguiram” (Mc 1.17-18).

CONCLUSÃO:
Vimos nesta mensagem baseada no texto do discípulo/medico Lucas, expusemos algumas verdades sobre a revelação divina, as quais foram: A revelação de Deus fala da presença de Jesus entre os homens; a revelação de Deus está disponibilizada de maneira escrita e; a revelação de Deus fortalece a fé dos cristãos. A minha pergunta é o que estamos fazendo com aquilo que Deus já nos revelou, muitos erram saindo em busca de novas revelações, mas nós também erramos quando vivemos aquém da revelação que Deus já nos deu. Portanto, precisamos buscar obediência a revelação divina. Temos feito isto?
APLICAÇÃO:
Música: lança a rede ao mar (Grupo Expresso Luz)
Desafio: Conhecer a revelação oficial de Deus revelada na Bíblia.
Oração: Por um avivamento, despertamento para leitura e obediência das Escrituras.

AUTOR: Veronilton Paz da Silva – Pastor Licenciado Pelo PRVP (Presbitério Vale do Pajeú); Missionário Presbiteriano na Cidade de Sumé-PB; Bacharel em Teologia pelo IBHT; Licenciatura Plena em Letras – Língua Portuguesa Pela UEPB; Formação Presbiteriana de Evangelista/Missionário pelo CPO/IBN (Curso de preparação de Obreiros do Instituto Bíblico do Norte) e CEIBEL (Curso Extensivo do Instituto Bíblico Eduardo Lane); CEL: (083) 999713627 Email: cristaoreformado@gmail.com



PALAVRÃO? COMO ASSIM?!

por Augustus Nicodemus
 
Palavrão? @#%*!!!! Como assim?!
De vez em quando leio os murais e comentários no Facebook e não poucas vezes me deparo com murais compartilhando fotos meio-eróticas, palavrões, para não falar de comentários cheios de palavras chulas e palavrões do pior tipo. Sei que boa parte destes amigos não são crentes em Jesus Cristo. Mas estou me referindo aos que se identificam como crentes, que postam tanto declarações de fé e amor a Jesus quanto material chulo.

Os argumentos a favor do uso de palavrões pelos crentes podem parecer bons: todo mundo usa, trabalho ou estudo num ambiente de descrentes e não quero parecer um ET, não tenho nenhuma intenção maligna ou pornográfica, etc.

O problema - para os crentes que tomam a Bíblia como regra de fé e prática e como o referencial de Deus para suas vidas - é o que fazer com estas passagens:

- "Não saia da vossa boca nenhuma palavra torpe, e sim unicamente a que for boa para edificação, conforme a necessidade, e, assim, transmita graça aos que ouvem" (Ef 4:29).

- "Mas a impudicícia e toda sorte de impurezas ou cobiça nem sequer se nomeiem entre vós, como convém a santos; 4 nem conversação torpe, nem palavras vãs ou chocarrices, coisas essas inconvenientes; antes, pelo contrário, ações de graças. 5 Sabei, pois, isto: nenhum incontinente, ou impuro, ou avarento, que é idólatra, tem herança no reino de Cristo e de Deus. 6 Ninguém vos engane com palavras vãs; porque, por essas coisas, vem a ira de Deus sobre os filhos da desobediência. 7 Portanto, não sejais participantes com eles" (Ef 5:3-7).

- "Raça de víboras, como podeis falar coisas boas, sendo maus? Porque a boca fala do que está cheio o coração. 35 O homem bom tira do tesouro bom coisas boas; mas o homem mau do mau tesouro tira coisas más. 36 Digo-vos que de toda palavra frívola que proferirem os homens, dela darão conta no Dia do Juízo; 37 porque, pelas tuas palavras, serás justificado e, pelas tuas palavras, serás condenado" (Mat 12:34-37).

- "Não vos enganeis: as más conversações corrompem os bons costumes" (1Cor 15:33)".

- "Agora, porém, despojai-vos, igualmente, de tudo isto: ira, indignação, maldade, maledicência, linguagem obscena do vosso falar" (Col 3:8).

- "A vossa palavra seja sempre agradável, temperada com sal, para saberdes como deveis responder a cada um" (Col 4:6).

- "Finalmente, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é respeitável, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se alguma virtude há e se algum louvor existe, seja isso o que ocupe o vosso pensamento". (Filip 4:8).

As interpretações destes versículos podem variar entre si, mas resta pouca dúvida de que o conjunto deles traz uma mensagem uniforme: o filho de Deus é diferente do mundo, no que pensa e no que fala. A pureza e a santidade requeridas na Bíblia para os cristãos abrange não somente seus atos como também seus pensamentos e suas palavras.

Eu sei que muitos vão dizer que o problema é a definição de palavrão. Entendo. Sei que palavras que ontem arrepiavam os cabelos de quem as ouviam, hoje viraram parte do vocabulário normal. Sei também que palavras que são palavrão numa região do Brasil não são em outra. Mesmo considerando tudo isto, ainda há muitos cristãos que usam palavrões no sentido geral e normal. É só ler blogs, comentários em blogs, murais e comentários no Facebook, tuítes da parte de gente que se diz crente.

Acho que a vulgarização do vocabulário dos evangélicos é simplesmente o reflexo do que já temos dito aqui muitas outras vezes: o cristianismo brasileiro é superficial, as igrejas evangélicas estão cedendo ao relativismo da nossa sociedade. Em vez de sermos sal e luz estamos nos tornando iguais ao mundo no viver, agir, pensar e falar.

Proponho o retorno daquele corinho que aprendíamos quando éramos crianças nos departamentos infantis das igrejas históricas:

"O sabão, lava meu rostinho
Lava meu pezinho, lava minha mão.
Mas, Jesus, prá me deixar limpinho,
Quer lavar meu coração".

______________________________________
 Fonte:




Meditação Diária – Colheita do maná

Curso de Preparação de Obreiros (CPO) do Instituto Bíblico do Norte (IBN)

Profº: Rev. Luiz Ricardo Monteiro da Cruz

LIÇÃO PRINCIPAL
Deus é Justo contra o pecado e misericordioso com o povo da sua aliança.

TEXTO: GÊNESIS 19.16-17
[16] Como, porém, se demorasse, pegaram-no os homens pela mão, a ele, a sua mulher e as duas filhas, sendo-lhe o SENHOR misericordioso, e o tiraram, e o puseram fora da cidade. [17] Havendo-os levado fora, disse um deles: Livra-te, salva a tua vida; não olhes para trás, nem pares em toda a campina; foge para o monte, para que não pereças”.

1.    O QUE ESTE TEXTO FALA SOBRE DEUS?
Deus é misericordioso e gracioso com o seu povo.

2.     QUE ESTE FALA SOBRE MIM?
Eu preciso entender que a minha vida depende da misericórdia de Deus e não dos meus méritos próprios.

3.    O QUE ESTE TEXTO ME ORDENA?
Confiar na misericórdia de Deus e ser misericordioso com os outros assim como Ele foi comigo.

4.    O QUE ESTE TEXTO ME PROMETE?
Pela sua misericórdia Ele livrou o seu povo no passado e continuará livrando no presente, pois Ele não mudou e jamais mudará.

5.    O QUE ESTE TEXTO FALA SOBRE O PECADO?
A misericórdia de Deus nos impulsiona a fugir do que é mal e pecaminoso e não viver nas práticas contrárias à Palavra de Deus.